Busca Artigos:

Leitura Recomendada

Menu

Integralismo Linear Academia Integralista Flor de Liz Linear Flor de Liz Integral

« Voltar

BENJAMIN CONSTANT, APENAS UM GRANDE TRAIDOR

16/07/2013

Durante mais de 4 meses fizemos nas reuniões Integralistas e Linearistas do MIL-B e da SENE na Sede Nacional em Campinas, um estudo sobre o senhor militar e engenheiro Benjamin Constant Botelho de Magalhães, sobretudo baseados no livro do historiador Renato Lemos: Cartas da Guerra, sobre a participação do militar Benjamin Constant na Guerra do Paraguai.
A partir daí, pudemos visualizar politicamente, socialmente e historicamento o mal absoluto que as idéias desse senhor proporcionou nos destinos do Brasil. Não é a toa que o próprio Duque de Caxias o chamou de traidor, ou desertar vergonhosamente do front acompanhado de sua mulher que o fora buscar, alegando motivos de saúde. O positivista infiltrado, que queria a todo custo transformar as Forças Armadas em polícia de Estado, com seu veneno contiano, ajudou a derrubar a Monarquia infiltrando-se com suas idéias subversivas no seio militar como Professor. Muito parecido com alguns professores da época atual a serviço dos interesses escusos de lesa-pátria.
A doutrina serpentária do " Soldado-cidadão" que transformava o Exército e a Marinha em meras delegacias de ordem pública serviu para transformar o militar brasileiro num mero " funcionário público de carreira" e hoje em dia, quase 130 anos depois, observamos generais lambe-botas de partidos políticos ao invés de lutarem pelos interesses nacionais, mais preocupados com seus soldos e aposentadorias. Além disso, não podemos esquecer a rebeldia do cadete Benjamin Constant que jogou sua espada no chão e foi expulso da Academia Militar da Praia Vermelha, sendo misteriosamente reabilitado depois, a mando das Forças Ocultas. E igualmente inesquecível a sua passagem desastrada como Primeiro Ministro da Guerra da República. E finalmente, o desmoronamento como Ministro da Instrução Pública, uma espécie de Darcy Ribeiro esquerdopata do Sec XIX.
Benjamin Constant também foi o terceiro Diretor do antigo IMPERIAL INSTITUTO DE MENINOS CEGOS, instituição criada em 1854 por d. Pedro II para cuidar da educação de crianças com deficiência visual. Em virtude de ter permanecido por longos anos à frente dessa instituição, em 1890 o governo provisório da recém proclamada república ( com minúscula mesmo) como Instituto Benjamin Constant - que, apesar de inativo em alguns períodos, permanece em franca atividade até os dias atuais. Este homem, que foi nomeado por D.Pedro II o traiu de forma vil e sorrateira. Mas vejamos a história a seguir que vai ilustrar de forma clara o caráter dessa triste figura positivista da nossa História, bem como moldar o caráter golpista da nossa respública de araque.


Uma História que poucos conhecem: A verdadeira causa da proclamação da república Brasileira



A família Imperial do Brasil, no Palácio do Grão-Pará(Otto Hesse)



Era madrugada do dia 15 de novembro de 1889, e em sua cama com uma febre ardente encontrava-se um marechal até então estimado pelos seus serviços ao Império do Brasil. Mas isso viria a mudar quando este homem por motivos particulares muda drasticamente a história e futuro do Brasil. Seu nome: Marechal Manuel Deodoro da Fonseca.



Cons. Gaspar da Silveira Martins



Mal. Deodoro da Fonseca



Ouvimos este relato de nossa amiga Marina Maria Lafayette Andrada Ibrahyn, trineta do patriarca da Independência José Bonifácio de Andrada e Silva, neta do Conselheiro Lafayette e sobrinha da dama que mencionarei em instantes e é a verdadeira causa da queda da monarquia no Brasil.

A história tem início quando o então Cel. Deodoro da Fonseca chega a um baile na corte e se encanta com uma bela e jovem moça de nome Adelaide Coutinho, filha de um dos mais renomados advogados do Rio de Janeiro naquela época. Esta moça era enamorada por Gaspar da Silveira Martins, um gaúcho que naquela ocasião já se despontava como um grande político, ferrenho adversário de Júlio de Castilhos(político do Partido Republicano Riograndense).

Acontece que Deodoro encantado por Adelaide pediu que esta lhe concedesse a honra de uma dança, mas a resposta foi um não, já que estava sendo cortejada por Gaspar e daí por diante com uma mágoa implacável o jovem coronel encheu-se de ódio daquele que viria a ser um dos maiores senadores do Império e governador da província do Rio Grande do Sul. A inimizade era recíproca e Gaspar se referia a Deodoro como um reles"sargentão", o que deixava Deodoro ainda mais possesso e descontrolado de sua raiva.

O tempo se passou e Adelaide casou-se com Gaspar formando uma bela família que deu ao país grandes nomes para a política e a cultura.

Retornamos ao ano de 1889, precisamente na noite do dia 14 de novembro, e em uma quartelada liderada por ideais positivistas, Deodoro ajuda a derrubar tão somente o gabinete ministerial do Visconde de Ouro Preto e não todo o sistema monárquico, pois para o marechal que até então era amigo do "bom e velho Imperador" a monarquia só poderia ser derrubada após a morte deste. Deodoro após derrubar o gabinete ministerial e prender o Visconde no Campo de Santana volta para casa ardendo em febre e depois de algum tempo deitado chega Benjamin Constant e prega a maior e mais inconsequente mentira da história do Brasil.

A mentira de Benjamim é que Dom Pedro II havia nomeado o Conselheiro Gaspar da Silveira Martins para formar o novo gabinete ministerial. Deodoro tomado de ódio e cólera diabólica, levanta-se de seu leito, veste sua farda, empunha sua espada e proclama naquele dia 15 de novembro o que viria a ser o início de nossos dissabores e tristezas: a república brasileira.



Benjamin Constant Botelho de Magalhães



A república que teve início de um golpe covarde baseado em uma mentira sórdida. Estas são as bases de nosso atual sistema de governo. Sempre a mentira servindo de instrumento para os rumos sinistros de nossa história!
Fato é que Benjamin Constant, na verdade era um agente dos britânicos em solo brasileiro.
Ele foi treinado e preparado para sua missão previamente nas escolas européias.
O Brasil, monarquia forte que era, sinificava uma real ameaça a Corôa Britânica e seus planos de dominação mundial. Muitos historiadores repudiarão com firmeza esta tese, que não requer provas devido ao estrago que a implementação da República trouxe ao Brasil e nos trás até os dias de hoje.

É só fazer a pergunta :

"A quem mais interessava a queda da monarquia Brasileira com a implementação de uma República de Falsa Representatividade?"

Bem, fato é que naquele tempo, antes do famigerado golpe de 15 de novembro de 1889, o Brasil era a Segunda maior potencia naval militar do mundo, só ficando atrás da própria Inglaterra.
O Maranhão foi a maior potência econômica abaixo do Equador com o seu ciclo de produção e exportação de matérias-primas.

E hoje? O que somos?

É melhor nem comentar, apenas lamentar e ter a Fé em DEUS que toda esta bandalheira de 124 anos de falácia republicana venha a dar lugar a um Regime realmente sério, PATRIOTA e comprometido apenas com o progresso e o bem-estar do povo Brasileiro.


"QUEM VIVER VERÁ!"


"Os membros da SENE e do MIL-B têm o interesse de estudo histórico verdadeiro do Brasil. Não é nossa intenção desconstruir ou vilipendiar a memória de ninguém, sobretudo de féretros que não podem se defender. Nossos sites estão abertos a réplica dos fatos apresentados para quem se sentir ofendido, no mais lídimo exercício da democracia de opiniões. Também nosso Corpo Jurídico se coloca a postos no momento em que exercemos o nosso direito constitucional de verbalizar nossa opinião sobre qualquer assunto relativo a História do Brasil."

A Palavra do Chefe
A Palavra de Gustavo Barroso
A Palavra de Miguel Reale
A Palavra do Integralismo
A Palavra do Integralismo Linear
Anil Loja Virtual TV Editora Linear

MIL-B (2008) - Desenvolvimento: MILB - Todos os direitos reservados | Versão 1.0
xhtml1.1css