Busca Artigos:

Leitura Recomendada

Menu

Integralismo Linear Academia Integralista Flor de Liz Linear Flor de Liz Integral

« Voltar

Integralismo

Mulheres, Negros, Judeus, Jovens, Índios e o Integralismo

Cassio Guilherme, Presidente Nacional do MIL-B

Ao contrário do que a mídia comunista e liberal dominadora vêm mostrando há 50 anos, o Integralismo tem orgulho de vários fatos e precisa esclarecer isso à população. Primeiramente, a Ação Integralista Brasileira foi um movimento nacionalista criado pelo escritor e jornalista Plínio Salgado que teve uma aceitação avassaladora na sociedade brasileira. Em menos de 5 anos a AIB já contava com mais de 500000 membros no Brasil e possuía células que formavam núcleos e daí províncias em todo território brasileiro. Além disso, fatos que muito orgulham o integralista devem ser citados:

a) Primeiro Movimento de massa no Brasil a ter mulheres como líderes: A adesão das mulheres foi gigantesca. Até então sufocadas de todas as formas pelas políticas da República Velha, as mulheres aderiram em massa ao integralismo. As primeiras líderes operárias, advindas da década de vinte como Sueli Libório e Clara Leite tornaram-se líderes de Núcleos Integralistas.

b) Primeiro Movimento de massa no Brasil a ter líderes negros: Também os negros, excluídos da sociedade desde a Abolição da Escravatura, discriminados de todas as formas, sem conotações políticas, encontraram no integralismo uma espécie de amigo acolhedor. O líder da Revolta da Chibata, João Cândido, era amigo pessoal de Plínio Salgado e tornou-se lider de célula integralista, edificando o movimento negro organizado 40 anos antes de sua efetiva criação na sociedade brasileira.

c) Primeiro Movimento de massa no Brasil a aceitar judeus como membros políticos: Até então os judeus sofriam perseguição doutrinária por suas convicções religiosas. Vários cidadãos de fé judaica aderiram ao integralismo, como a família Steinberg do RJ. Encontrando um canal de aceitação política, os judeus tornaram-se inclusive líderes de células. A coisa mais absurda é afirmar que a AIB era anti-judaica, pois a verdade é justamente o contrário. E os judeus perseguidos por todo tipo de ideologia, inclusive a comunista que perseguia burgueses na Europa e no Brasil, encontraram na AIB um grupo político combativo contra essa perseguição. E também o caráter ecumênico do integralismo beneficiou outras pessoas de diferentes credos que ajuntaram-se imediatamente ao movimento.

d) Primeiro Movimento de massa a ter jovens como líderes: A adesão da juventude também foi maciça. Órfãos de ideologias políticas, perdidos sem rumo em termos de doutrinação educacional, os jovens encontraram no integralismo um porto seguro, entenderam que as propostas integralistas eram reais e não divagações perdidas no tempo e no espaço. Um jovem estudante de Direito, Miguel Reale, então com 24 anos, tornou-se o terceiro líder em importância no movimento, assombrando uma política que até então era feita com velhos caquéticos e homens de meia idade equivocados.

e) Primeiro Movimento de massa no Brasil a exaltar a cultura indígena: Numa época em que ser moderno e intelectual significava seguir os modelos e costumes europeus, adorar a “ Belle Époque”, os integralistas lançaram um grito rebelde contra essa opressão: “ANAUÊ”, a saudação tupi que bradou que nossa herança era in dígena. Muito antes de antropólogos ou culturalistas valorizarem o índio, o integralismo já buscava na cultura indígena a identidade do nosso país, no grito “ANAUÊ”, um grito de libertação contra os opressores dos povos latino-americanos. Além disso a AIB foi também precursora dos movimentos ecologistas no Brasil quando lançou a tese “ Vamos defender a Amazônia e seus recursos” 40 anos antes dos primeiros movimentos ecológicos surgirem no Brasil.

f) Primeiro Movimento de massa no Brasil a adotar políticas sociais de grande alcance: Ao invés de criticarem ou escreverem sobre a miséria e o desamparo do sofrido povo brasileiro os integralistas partiram para a ação. Em 5 anos mais de 120 ambulatórios e enfermarias, 12 centrais médicas, 28 postos de tratamento mais completos que hospitais, 50 locais de distribuição de alimentos foram erguidos pela AIB em todo Brasil, atendendo brasileiros de todas as classes, paulistas ou nordestinos, negros ou brancos, deficientes, sem um tostão furado de governo algum, apenas com idealismo e força de vontade. O programa social integralista foi tão colossal que levou Dom Helder Câmara a engajar-se nas fileiras da AIB e declarar em discurso de 1935: “ Esse programa social da AIB é o maior programa cristão de assistencialismo da história do Brasil.” Por tudo isso a AIB deve ter orgulho de seu passado. Anos e Anos de mentiras não são suficientes para destruírem um ideal. À calúnia respondemos com determinação, à inverdade respondemos com fatos, à incompreensão respondemos com fé. A história se encarregou de mostrar que o Integralismo sempre foi atual e legítimo. A queda dos mitos liberais e esquerdistas serviu para corroborar essa idéia. Avante companheiros!!! Tenham orgulho do passado e esperança no futuro. Chega de comunismo, nazismo, liberalismo, capitalismo. Vamos abraçar apenas os dois caminhos que norteiam a nossa luta integralista: A fé inabalável na religião e a fé inabalável no patriotismo e na estrutura sólida da família. Lembre-mo-nos da máxima filosofal: “ A verdade quando dita se torna óbvia”. Anauê!!!

Alem dos vários livros e artigos escritos pelo Chefe Nacional Plínio Salgado, pelo Chefe das Milícias Gustavo Barroso e pelo Secretário de Doutrina Miguel Reale, podemos citar também mais de 5 títulos de revistas Editadas, e outros autores Revistas: Anauê, Panorama, Integralismo no Sul

Livros:

Desperta, Brasil! - Tenório D’Albuquerque.

O Sonho do Filósofo Integralista, Camisas Verdes, Os Inimigos do Sigma - Custódio de Viveiros.

Conceito de Estado Integral, Razões do Integralismo, A Quarta Força - Olbiano de Mello.

Do Liberalismo ao Integralismo - General Olímpio Mourão Filho

Jornais:

Jornal O Monitor Integralista

Jornal Acção

Jornal O Sigma Integralista

Jornal O Integralismo no Sul

A Palavra do Chefe
A Palavra de Gustavo Barroso
A Palavra de Miguel Reale
A Palavra do Integralismo
A Palavra do Integralismo Linear
Anil Loja Virtual TV Editora Linear

MIL-B (2008) - Desenvolvimento: MILB - Todos os direitos reservados | Versão 1.0
xhtml1.1css